The Beat Diaspora – Episódio 03 – Reggaeton


Durante o terceiro episódio de The Beat Diaspora, a cantora porto-riquenha em ascensão Nohemy nos mostra como e porque essa batida afro-latina-caribenha, uma espécie de mistura entre o dancehall jamaicano e o hip-hop dos Estados Unidos com temperos locais, se transformou na música pop mais ouvida em todo o mundo.

Em La Perla, bairro considerado símbolo de San Juan, DJ Negro, um dos principais pioneiros e articuladores do reggaeton, nos explica sobre a origem do beat e conta diversas histórias do comecinho do reggaeton. Voltando ainda mais na linha do tempo, Nohemy, em busca de conhecer sua ancestralidade, nos leva até a cidade vizinha Loiza, na costa caribenha, para uma aula de história, luta, diáspora e feminismo através de conversas com líderes comunitárias locais e professoras. É lá que ouvimos o legítimo toque do tambor de bomba, uma das identidades culturais mais fortes do povo afro-diaspórico “boriqua”.

Nos caserios de San Juan, que é como são chamados os conjuntos habitacionais populares locais, Nohemy conversa com a antropóloga Marissel Romero sobre as questões sociais e políticas em torno do reggaeton e com o astro Rafa Pabón. No estúdio do produtor Visitante, conhecemos um pouco sobre a carreira do Calle 13, grupo que transformou o reggaeton numa fábrica de Grammys e discutimos sobre um possível embranquecimento do gênero. Num estacionamento abandonado, Nohemy bate um papo com as estrelas Zion & Lennox, dupla fenômeno com mais de 20 anos de hits. E num clube noturno, encontra as estrelas Villano Antillano e Rainao em uma conversa sobre “perreo”, a popular (e polêmica) dança que acompanha o reggaeton e liberdade sexual.

Direção: Carol Lima
Roteiro: Joyce Prado
Direção de Fotografia: Urso Morto
Com participações de: (host) Nohemy, DJ Negro, Marcos Penãzola Pica, Maricruz Rivera, Marisel Hernandes, Rafa Pabón, Rainao, Sacha Antonetty-Lebrón, Villano Antillano, Wiso Rivera, Zion & Lennox

Link do Vídeo